Movimento Futebol Limpo repudia indicações de Jovair Arantes para a Apfut e pede a manutenção do quadro atual

A Autoridade Pública de Governança do Futebol é o órgão fiscalizador do Profut, criado para que as determinações deste último sejam mantidas de forma vigorosa. Em 19 de janeiro deste ano foram publicadas no Diário Oficial, através do decreto 8.642, as disposições sobre as nomeações e o funcionamento geral do Apfut. A Autoridade não gera despesas à União e é integrada por representantes do governo, dos clubes, jogadores, treinadores, árbitros, assim como atores de entidades que militam pelo progresso do futebol brasileiro, como o Bom Senso Futebol Clube.

Ou seja, o Apfut não é apenas um mecanismo de fiscalização das regras impostas aos clubes e entidades que aceitaram o Profut como forma de saneamento de suas contas e conseqüente melhora da governança como também um fórum de diálogo.

Com a suspensão da presidente Dilma Rousseff, o interino Michel Temer compôs um novo gabinete ministerial. Leonardo Picciani foi escolhido como Ministro do Esporte e há uma apreensão em relação aos quadros atuais da Autoridade Pública de Governança do Futebol. O citado decreto afirma que os três representantes do Poder Público são indicados pelo Ministério da Fazenda, Ministério do Trabalho e Previdência Social e Ministério do Esporte.

Notícias começam a surgir na imprensa sobre a troca do atual quadro, composto por Ricardo Gomyde (Ministério do Esporte), Sóstenes Marchezine Santos (Ministério da Fazenda), Manoel Messias Melo (Ministério da Previdência) e o presidente da entidade, César Carrijo (advogado da União).

Ainda por fontes não-oficiais, repudiamos possível nomeação de um novo presidente da Apfut, indicado pelo Deputado Federal Jovair Arantes (PTB / GO), que ficou conhecido no país apenas recentemente, quando foi relator do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Arantes é suspeito de participar de esquemas com o chefe do jogo do bicho em Goiás, Carlinhos Cachoeira. No que tange o presente interesse deste texto, o mais grave é o parlamentar ser apontado como líder da “bancada da bola” – grupo político que defende os interesses de clubes e entidades do futebol alheias ao processo de modernização que a sociedade clama. Portanto, é um completo contra senso o Deputado Jovair Arantes ser o responsável por nomeações no Apfut. E um péssimo começo para o Ministro Leonardo Picciani.

Dito tudo isso, afirmando nosso compromisso com a luta por um futebol limpo, o MFL propõe a manutenção dos quadros atuais ou, se não for possível, que a troca seja feita por questões de ordem técnica, visando o contínuo progresso do futebol brasileiro que teve na aprovação do Profut, dentro do âmbito legislativo, sua pedra fundamental e marco de conquista social.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s